Na última sexta-feira, 07, o Estádio Paulo Barreto de Menezes, o popular Barretão, foi reinaugurado após receber um investimento de R$ 3,5 milhões e passar alguns poucos anos sem sediar os jogos do Lagarto Futebol Clube. Entretanto, diferentemente do esperado, a reinauguração não culminou com a entrega imediata da gestão do estádio à diretoria alviverde.

É que os termos para a assinatura do Termo de Comodato ainda estão sendo alinhadas entre o Governo do Estado de Sergipe e a Diretoria do Lagarto FC. Segundo Robson Santos, presidente do clube lagartense, a diretoria tem o objetivo de tornar o estádio financeiramente sustentável, mas algumas ideias para viabilizar as intenções foram vetadas.

Robson: “Acreditamos que é possível manter o estádio”

Entre as ideias vetadas está a de colocar pequenos espaços comerciais dentro do estádio e alugá-lo para os comerciantes do município, já que o Barretão está situado no centro do cidade de Lagarto. “Mas nós acreditamos na possibilidade dele ser sustentável, pois temos a possibilidade de realizar shows, montar lojas do clube para vender materiais do time e, com isso, gerar uma receita para pagar as possíveis despesas com funcionários, com material e com a manutenção do gramado”, observou.

“Nós estamos recriando as ideias, mas acreditamos que é possível sim manter o estádio”, completou o presidente ao informar que a diretoria além de ter algumas de suas ideias vetadas pelas regras impostas pelo Estado, também viu que algumas de suas ideias iniciais eram inviáveis. Entretanto, para o futuro, a diretoria alviverde espera construir uma área dedicada somente aos visitantes, bem como um acesso para a entrada dos ônibus com os jogadores.

Ao Portal Lagartense, Mariana Dantas, Superintendente Estadual do Esporte, explicou que o comodato não tem prazo mínimo fixado e que ele pode ser revogado a qualquer momento no interesse do Governo do Estado. Além disso, ela destacou que ceder o Barretão ao Lagarto FC faz parte da nova política do governo Belivaldo Chagas. “Nós entendemos que eles serão geridos adequadamente por quem está junto a ele diariamente, que são os times”, comentou.

Temporada 2021

Em relação a Temporada 2021, questionamos o presidente do Lagarto FC sobre a nova chance que o clube recebeu para se redimir da pífia Temporada 2020, a qual resultou no rebaixamento. Em resposta, ele afirmou que a volta do Barretão apenas dobrou a responsabilidade e aumentou o sonho de ver o Lagarto ser campeão dentro de sua casa.

“O pensamento da nossa diretoria sempre foi montar um elenco competitivo e para ser campeão. Mas a gente sabe que futebol é uma caixinha de surpresa e as coisas acabam acontecendo como a gente não espera, e a gente espera que no próximo ano possamos se consagrar brigando pelo título”, disse. “Com certeza, os erros do passado não serão cometidos novamente, porque a gente vem aprendendo muito.

Sempre amamos o futebol e antes de sermos presidente, a gente era torcedor e imaginávamos que dava para fazer inúmeras coisas, mas quando a gente entra de cabeça no mundo da bola, nos bastidores, a gente ver coisas e vai aprendendo. Nós já aprendemos muito e já apanhamos muito, e esperamos que isso, no próximo ano, não aconteça mais”, completou Robson, que em seguida reconheceu que foi um erro ter escolhido a Copa do Brasil ao invés da Série D. “Hoje, enxergamos que foi um erro, mas naquele momento era o melhor que se podia fazer”,justificou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here