O serviço de Biologia Molecular do Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Lacen) realizou de maio a agosto 9.880 análises para investigação de enfermidades conhecidas como arboviroses, transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Destes, total 370 testaram positivas para detecção da Dengue, 158 para Zika vírus e 1.819 para Chikungunya através da técnica de RT-PCR em tempo real.

A pesquisa do vírus pode utilizar amostras de sangue, urina ou líquor. Dependendo do tempo da infecção do paciente, podem ser utilizados dois tipos de metodologia no Laboratório Central, a Sorologia, pela técnica de Enzimaimunoensaio, e a Biologia Molecular, pela técnica de Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) em tempo real.

Pesquisa do vírus pode utilizar amostras de sangue, urina ou líquor.

“Cumprimos esses dois protocolos para as análises dessas arboviroses, onde levamos em consideração o período da sintomatologia. Até o 7º dia dos primeiros sintomas é realizado o PCR. Do 7º dia ao 21º dia, fazemos o IgM para Zika, Chikungunya e Dengue e após, o 21º dia dos sintomas realizamos o IgG para Chikungunya e Zika” explicou o superintendente do Lacen, Cliomar Alves.

De acordo com o farmacêutico e bioquímico os resultados das análises são emitidos num prazo máximo de 15 dias para a unidade requisitante. “Nesse caso, pode ser as unidades de saúde, de pronto atendimento e hospitais, do município de residência do paciente”, salientou o gestor.

Os laudos dos testes são disponibilizados através do sistema de Gerenciamento de Ambiente Laboratorial ( GAL), via internet, que emite as informações de análises para diferentes agravos e  doenças, que precisam ser monitoradas pelas vigilâncias Epidemiológicas  e Atenção Básica dos municípios e do Estado.

Saúde pública

O Lacen realiza exames de média e alta complexidade, atendendo os 75 municípios de Sergipe, disponibilizando mais de 80 tipos de exames nas áreas de vigilância epidemiológica, sanitária e ambiental. O monitoramento das doenças por transmissão de vetores como as arboviroses visa contribuir para que a Vigilância Epidemiológica e a Assistência possam adotar medidas de controle, tratamento e acompanhamento ao paciente em tempo oportuno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here