PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
post
page
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
post
page
Publicidade

Agricultores familiares já podem aderir ao Garantia-Safra 2021/2022

A Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri) informa que os agricultores familiares já podem se inscrever no programa Garantia-Safra 2021/2022. Podem fazer inscrição os agricultores com renda familiar mensal de um salário mínimo e meio, no máximo, que plantam entre 0,6 e 5 hectares. A coordenação estadual do programa chama a atenção, também, para a necessidade de adimplência dos municípios para que os agricultores que sofreram perda na safra 2020/2021 sejam beneficiados. Pelas regras do programa, os municípios que não estão em dias com as contrapartidas não terão as perdas analisadas e reconhecidas, ficando os agricultores prejudicados.

Segundo a Seagri, na safra anterior (safra 2020/2021), 12.854 agricultores fizeram adesão ao programa em 20 municípios do semiárido, mas a cota de Sergipe comporta a inscrição de até 25 mil agricultores. O programa funciona como uma espécie de seguro agrícola para quem comprovar a perda de mais de 50% da safra em razão de estiagem ou excesso hídrico. Normalmente são realizados repasses de R$ 850,00 para cada agricultor que aderiu ao programa, divididos em cinco parcelas de R$ 170,00. Contudo, durante o período de pandemia, o repasse está sendo realizado em uma única parcela.

Inscrições para safra 2021/2022

A Seagri, responsável pela coordenação estadual do programa, esclarece que as inscrições estão abertas e vão até fevereiro de 2022. Os produtores que já foram inscritos em safras anteriores, 2019/2020 ou 2020/2021, e que tenham a Declaração de Aptidão (DAP) ativa, tiveram as inscrições migradas para a safra 2021/2022. Já os agricultores que ainda não aderiram ao programa nas duas últimas safras devem inscrever-se de forma tradicional, dirigindo-se a qualquer escritório da Emdagro, de posse da DAP e documento de identificação com foto. Os agricultores da reforma agrária precisam dirigir-se ao Incra ou à Secretaria Municipal de Agricultura. Já os assentados do Programa Nacional de Crédito Fundiário devem procurar a Pronese.

Participação do Estado e municípios

Para o secretário de Estado da Agricultura, Zeca da Silva, a efetivação do aporte financeiro dos entes públicos é uma demonstração de compromisso com o agricultor. “Mesmo diante de um contexto de pandemia e de limitação de recursos financeiros, o governador Belivaldo Chagas determinou o aporte de R$ 1.311.108,00, garantindo o benefício a que o agricultor faz jus, como um reconhecimento da grande relevância do programa e da Agricultura em Sergipe”, pontuou. O secretário reitera o pedido para que os municípios também efetivem o pagamento da parte que lhes cabe. “Para que o programa funcione e o agricultor receba o benefício, é imprescindível que as prefeituras efetivem o pagamento de seus aportes”, reforça Zeca.

O seguro Garantia-Safra funciona com a contribuição financeira dos entes federativos e dos agricultores. Conforme estabelece a resolução do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/Comitê Gestor do Garantia-Safra, o valor do benefício é R$ 850 e fixa contribuições dos próprios agricultores familiares e dos entes federativos para as safras de feijão, milho, arroz, mandioca e algodão. De acordo com a resolução federal, as contribuições estão distribuídas da seguinte forma: R$ 17,00 para agricultores familiares; R$ 51,00 para os municípios (por agricultor que aderir em sua jurisdição); R$ 102,00 para os Estados (também por agricultor que aderir em sua jurisdição); e R$ 340,00 para a União (por agricultor que aderir ao Garantia-Safra).

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here