PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
post
page
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
post
page
Publicidade

PC prende suspeitos de aplicar golpes em vendas de iPhone em Lagarto

Equipes da Delegacia Regional de Lagarto, com o apoio da Divisão de Inteligência (Dipol) e da Polícia Civil de São Paulo, deflagraram uma operação para o cumprimento de nove mandados judiciais na capital paulista, sendo dois de prisão preventiva e sete de busca e apreensão domiciliar contra investigados de invadir um perfil de uma loja no Instagram, anunciar celulares com preços mais baratos e aplicar golpes em moradores de Lagarto. A ação policial ocorreu nesta quarta-feira, 24.

De acordo com o delegado Matheus Cardillo, os suspeitos são residentes de São Paulo e são investigados por invasão de dispositivo informático, estelionato e falsidade ideológica. “As investigações duraram cerca de três meses. Os investigados invadiram o Instagram de uma loja, anunciaram Iphones com o preço bem mais barato do que o praticado no mercado e chegaram a enganar diversos clientes em Sergipe, além de pelo menos um outro residente em Alagoas, que acreditavam estar negociando com a loja”, detalhou.

Os mandados de prisão foram expedidos pela Vara Criminal de Lagarto. “A operação teve como objetivo prender os investigados e recolher evidências que auxiliem na investigação, as quais, inclusive, podem revelar ou não a existência de mais envolvidos. Com as apurações realizadas até o momento, identificamos cerca de 50 possíveis crimes, que em tese foram praticados pelos investigados em diversos estados”, acrescentou o delegado.

Matheus Cardillo reforçou que a ação policial faz parte do comprometimento da segurança pública de Sergipe para a desarticulação de grupos criminosos que atuam no ambiente digital. “A operação é mais uma ofensiva investigativa da Polícia Civil de Sergipe, cumprindo determinação do secretário da Segurança Pública e do delegado-geral, visando reprimir esses crimes praticados no meio digital, que estão em crescimento exponencial desde o início da pandemia”, concluiu.

Fonte: SSP/SE

Publicidade