Quando Eleandra Maria Ramos, de 38 anos, encontrou uma nota de R$ 100 na avenida Jundiaí, uma das principais vias da cidade, ela não conseguia parar de pensar que o dinheiro poderia estar fazendo falta para quem o havia perdido. Por isso, entrou em contato com a Guarda Municipal para tentar identificar o dono do dinheiro pelas câmeras de monitoramento da cidade.

“Na hora em que vi a nota no chão, bem no canteiro central, pensei que fosse de R$ 2. Ao me aproximar, vi que era de R$ 100. Peguei o dinheiro e coloquei no bolso do meu colete. Depois atravesei a avenida e entrei no ônibus, mas fiquei muito incomodada por estar com aquele dinheiro, a pessoa que perdeu pode estar precisando dele”, conta.

Inicialmente, ela pediu ajuda a um amigo, mas recebeu como resposta que seria impossível encontrar o dono da nota. Incomodada com a situação, ela teve a ideia de tentar encontrar a pessoa pelas câmeras de monitoramento da Guarda.

“No dia seguinte já fui até a central e identifiquei o momento em que eu passei na avenida. Depois, conseguimos ver que minutos antes no local passam duas mulheres e uma delas está mexendo na bolsa. Então, o dinheiro com certeza é dela.”

Por meio de nota, a Guarda Municipal de Jundiaí informou que as mulheres foram identificadas pela Central de Monitoramento Eletrônico de Câmeras, o Olho Vivo, que está conectada 24 horas em tempo real, diariamente, de segunda a segunda, inclusive nos finais de semana e feriados.

“A atitude da munícipe em querer devolver o dinheiro perdido à pessoa é louvável, demonstra o quanto é importante continuar apostando na boa fé e intenção do ser humano, a sua solidariedade e preocupação com o próximo. A Guarda Municipal de Jundiaí encontra-se sempre à disposição para promover o bem-estar comum, auxiliar o próximo”, frisa o comandante da GM, o inspetor Benedito Marcos Moreno.

Missão ainda não cumprida

Assim que conseguiu identificar a “dona” do dinheiro pelas imagens, Eleandra passou a compartilhar a foto dela nas redes sociais, mas, até agora, sem sucesso. Ela garante que nem pensa em ficar com o dinheiro, mesmo tendo ficado desempregada dois dias após encontrar a nota de R$ 100.

“Não desisti, tenho pedido aos meus amigos que ajudem a compartilhar e que peçam aos seus amigos também. O dinheiro não é meu, preciso devolvê-lo. Não importa se irá demorar. Mas acredito que vou encontrar e não devemos desistir daquilo que acreditamos”, finaliza.

 Fonte G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here