Agora o paciente ortopédico que chega ao Hospital Universitário de Lagarto (HUL-UFS) precisando de tratamento cirúrgico é operado no mesmo no mesmo dia ou, no mais tardar, no dia seguinte. Meta foi possível após contratação de profissionais e investimentos importantes na aquisição de equipamentos. Antes o usuário esperava de 20 a 30 dias pelo procedimento cirúrgico.

Em três meses de funcionamento sob gestão da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) o HUL conseguiu zerar a fila de espera por cirurgias ortopédicas na unidade. A empresa pública assumiu a gestão da unidade hospitalar, em sua integralidade, em 22 de dezembro de 2017, momento em que existia uma fila de espera de cerca de 50 pacientes por cirurgias ortopédicas.

“Com isso, passamos a oferecer um serviço com maior qualidade e resolutividade, frente às demandas da Região de Saúde de Lagarto”, observou o gerente de Atenção à Saúde do HUL e superintendente em exercício, Manoel Luiz de Cerqueira Neto. “O resultado é fruto da contratação de profissionais das áreas de ortopedia, anestesiologia e enfermagem, que somados aos profissionais da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), presentes nesta unidade, articularam-se em torno dessa causa”, disse.

Manoel Cerqueira lembra que dessa forma o Hospital Universitário de Lagarto cumpre o seu papel com eficiência na sua atuação dentro da Rede de Atenção à Saúde (RAS) do Estado de Sergipe. “O que é uma realidade também em relação aos casos de urgência e emergência de cirurgias gerais, onde os pacientes que buscam a porta do hospital são prontamente atendidos em casos de apendicectomia, herniorrafia e laparotomias, por exemplo”, destacou. 

Para o diretor de Atenção Integral à Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), João Lima, “esse resultado propicia que a unidade possa atender de forma mais célere os casos novos que vão chegando ao Hospital, para a especialidade de Ortopedia”. O gestor destaca ainda que a SES continuará dando o apoio necessário para que a iniciativa se fortaleça e avance ainda mais. “Ficamos felizes com essa notícia, uma vez que a unidade continua exercendo o papel estratégico de atuação regional tendo sua missão articulada com toda a Rede Estadual de Saúde”, ressaltou.

BENEFICIÁRIO – Dona Maria Iolanda, 72, que no início deste ano passou a residir em Lagarto, é uma das pacientes beneficiadas por esta nova fase no setor de Ortopedia do HUL. Devido a queda que levou na escada de sua residência, teve que ser submetida a um tratamento cirúrgico de fratura do fêmur na unidade hospitalar. “Uma cirurgia que era para durar duas horas demorou 40 minutos”, expressou com satisfação Dona Iolanda, ainda na enfermaria, algumas horas após o procedimento. “Estou agradecida por isso, e também pelo atendimento que recebi dos médicos, dos enfermeiros; todos me atenderam bem, eles foram bem prestativos comigo”, disse.

Outro usuário beneficiado foi Genisson Santos, 38, que após sofrer um acidente de moto em Boquim – a cerca de 38 quilômetros de Lagarto -, recorreu ao hospital, foi recepcionado e após se submeter aos exames preparatórios foi submetido a um tratamento cirúrgico de fratura do punho. “Fui bem atendido por todos aqui e tudo foi feito sem muita espera”, disse. “Gostei também porque cheguei e a situação foi resolvida”, completou.

MUDANÇA – O chefe da Divisão Médica do HUL, ortopedista Érico de Pinho Meneses, lembra que antes o setor de Ortopedia funcionava com dois profissionais na emergência – que faziam cirurgias de urgência. E que em dois dias da semana havia um ortopedista a mais para fazer as chamadas cirurgias de urgência “programada”. Condição essa, que implicava numa fila quase que constante de cerca de 50 pacientes à espera de uma cirurgia, com um tempo de espera para a realização do procedimento em torno de 20 a 30 dias.

“Com a gestão da Ebserh no Hospital Universitário de Lagarto passamos a contar com três ortopedistas por plantão, onde se realiza, de uma só vez, cirurgias de urgência e programadas, de segunda a sexta-feira”, informa Érico de Pinho, dando conta ainda de que além do reforço em termo de pessoal, aconteceram também investimentos importantes na aquisição de equipamentos como mesas cirúrgicas elétricas, focus cirúrgicos, bisturis elétricos, monitores multiparamétricos, além de um intensificador de imagem mais moderno. “Tudo o que aconteceu em termos de melhor estrutura e a perspectiva de novos avanços tem sido um motivador importante para nós profissionais”, enfatizou. ​

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here