Na manhã desta quinta-feira (1), muitos lagartenses acordaram com um buzinaço realizado pelos mototaxistas. O ato seria contra a chegada, ainda sem regulamentação, de um aplicativo de transporte que oferece serviços sobre duas rodas na cidade, o MotoFácil. Os mototaxistas seguiram em direção à Câmara de Vereadores de Lagarto, onde discutem o tema. 

Mototaxistas se reúnem na Câmara de Vereadores

Giraldino Cardoso, um dos trabalhadores da classe dos mototaxistas, disse achar que isso irá prejudicar o seu trabalho e de seus colegas, já que, segundo ele, os novos profissionais de aplicativo, diferentemente deles, não pagariam impostos. Cardoso diz que os mototaxistas já começam a sentir os prejuízos com a chegada do Uber, e que com o novo aplicativo, a situação irá piorar ainda mais.

Hernane Lisboa, representante da Associação de Moto Táxi de Lagarto, disse que os mototaxistas não são contrários a chegada do aplicativo em si, mas a forma como isso pode se dar na cidade. Ainda de acordo com Lisboa, no dia em que os mototaxistas quiserem, poderão lutar pelo serviço, desde que seja um aplicativo exclusivo aos mototaxistas da cidade. 

Presidente da Associação de Moto Táxi se pronuncia na Câmara de Vereadores contra a chega do aplicativo

Além do preço mais acessível ofertado pelos aplicativos de transporte, que poderiam prejudicar o lucro dos mototaxistas, estes reclamam pelo fato de precisarem pagar taxas como a de alvará, vistoria anual, emplacamento, exame psicotécnico, entre outras. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, por exemplo, essas taxas (sem contabilizar o alvará), podem chegar a R$ 500,00 por ano. 

Projeto de lei

De acordo com o vereador Josivaldo Alves (Cidadania) não existe até o momento qualquer projeto de lei relacionado a regulamentação da atuação de aplicativos como o MotoFácil, e os mototaxistas compareceram à Câmara de Vereadores apenas para exigir fiscalização de qualquer serviço desse tipo que estiver sendo ofertado. Ainda de acordo com o parlamentar, a atuação de serviços como esse, ainda sem a devida regulamentação, é ilegal.

O presidente da Câmara de Lagarto, vereador Carlos Eduardo (mais conhecido como Eduardo de João Maratá) agradeceu a confiança dos mototaxistas de comparecerem para discutir a situação. “Ficamos felizes quando somos cobrados, muitas vezes as pessoas criticam os vereadores, mas não acompanham nem procuram a gente”. 

Ainda de acordo com Eduardo, ele foi procurado pelos mototaxistas para analisar se o valor do alvará para que eles possam atuar poderia ser diminuído, e que isso já foi solicitado e está sendo analisado. 

O aplicativo

O MotoFácil chegou recentemente em Lagarto, há quase um mês, e segue uma lógica de funcionamento parecida com a da empresa Uber que tua na cidade desde o ano passado. O preço da viagem ofertada pelos pilotos do aplicativo também é proporcional ao tempo e tamanho da viagem, com valor mínimo de R$ 3,00.

2 COMENTÁRIOS

  1. Uma sugestão para os mototaxistas: Se cadastrem no aplicativo, entenda como funciona os serviços da empresa e comecem a trabalhar. A aplicativo veio para facilitar a acessibilidade das pessoas, o app é uma inovação que é tendência e normal nos próximos anos, quem não acompanhar a tecnologia fica para trás. Se atualizem !

  2. será que vereadores de Lagarto irão desafiar a decisao do STF que proibir/restrigir aplicativos de transportes é inconstitucional!?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here