São títulos sobre as mais variadas áreas de pesquisa como História, Literatura, Biologia, Teatro, Comunicação, Geografia, Filosofia, entre outros. “Uma boa oportunidade para manter a leitura em dia e navegar por temas até então desconhecidos”, observa o gerente da Edise, Jeferson Melo. O último E-book disponibilizado foi ‘A vida me quer bem: crônicas da vida sergipana’, de Amaral Cavalcante, que nos deixou em julho deste ano. A obra apresenta crônicas que retratam desde sua infância à mocidade.
 
Essas publicações já contam com versão impressa (comercializada pela Editora na sede da Segrase e na Livraria Escariz), porém, algumas das obras já estão esgotadas na versão impressa, como é o caso do título ‘Os Não-Recomendados: A Violência Contra a População LGBT em Sergipe e o atendimento profissional dos casos oficiais de homofobia e transfobia’, de Móises Santos de Meneses, que foi lançado em 2018.
Segundo o diretor Industrial da Segrase, Mílton Alves, o objetivo da ação é incentivar a leitura e facilitar o acesso aos livros. “Nossa intenção é democratizar o acesso às obras da Editora, que tem como missão apresentar à sociedade, sob forma de livros, o conhecimento científico e cultural”.
 
A disponibilidade virtual das obras acontece desde 2015. De acordo com o presidente da Segrase, Francisco de Assis Dantas, a intenção é disseminar a leitura. “Nossa ideia é que mesmo livros que estão à venda, em formato de papel, possam ficar à disposição para download gratuito, sem que isso signifique a falta de interesse pela compra. Existe público para os dois formatos e o que queremos é alcançar cada vez mais leitores”.
Os arquivos são disponibilizados nos formatos PDF, para ter acesso é preciso acessar o site da Segrase .
 
Obras disponíveis
 
A Edise conta com todas as edições da revista Cumbuca e 30 livros em formato digital. São eles: A vida me quer bem: crônicas da vida sergipana, de Amaral Cavalcante; Homicídios no Brasil e em Sergipe: Uma análise sob a ótica da economia do crime, de Marco Antonio Jorge; Telenovelas Brasileiras e Portuguesas: Padrões de audiência e consumo, de Raquel Marques Carriço Ferreira; Entre Papéis e Lembranças: O Centro de Educação e memória do Atheneu Sergipense e as contribuições para história da educação, de Eva Maria Siqueira Alves (Organizadora); Campo Aberto: Para a crítica da epistemologia da comunicação, de César Ricardo Siqueira Bolaño; História da Escola Primária no Brasil: Investigações em perspectiva comparada em âmbito nacional, de Rosa Fátima de Souza, Antonio Carlos Ferreira Pinheiro e Antônio de Pádua Carvalho Lopes; Couro Curtido – memórias de um militante comunista, de Val Carvalho; Ranulfo Prata – Vida & Obra – Gilfrancisco Santos; “IV Ciclo de Debates em Estudos Olímpicos e Paraolímpicos – Diferentes olhares sobre os Jogos Rio 2016: a mídia, os profissionais e os espectadores” – Volume I e II – Ailton Fernando Santana de Oliveira e Marcelo de Castro Haiachi; Continência a um comunista – Milton Júnior; A Fórceps – Vivian Reis; I Antologia Literária de conto, crônica, cordel e poesia da CGE – Controladoria-Geral do Estado de Sergipe – Organizador Eduardo Almeida; José Fernandes – Marcelo Ribeiro; Os Não-Recomendados: A Violência Contra a População LGBT em Sergipe e o atendimento profissional dos casos oficiais de homofobia e transfobia – Móises Santos de Meneses; Nem Copo de Cachaça, Nem Prato de Comida: a primeira greve dos comunicadores sergipanos – Henrique Maynart; Suítes dos Viventes – José Vasconcelos dos Anjos; O Anofelino Solerte – Marcos Cardoso; A Biblioteca Provincial de Sergipe – Gilfrancisco Santos; O Tatu de Pirakê – Djenal Gonçalves Filho; Paulo de Carvalho Neto: Vida & Obra – Gilfrancisco Santos; Agremiações culturais de jovens intelectuais na imprensa estudantil: grêmio Clodomir Silva & mensagem dos novos de Sergipe – Gilfrancisco Santos; Bernardino José de Souza: Vida & Obra – Gilfrancisco Santos; Educação pelo mundo: vida em crônicas – Matheus Batalha; Nervuras: poesia de carne viva – Ilma Fontes; Sobre parir e renascer – Priscilla Lírio et al.; Uma cruz para os enforcados: práticas penitenciais em Nossa Senhora das Dores – SE – João Paulo Araújo de Carvalho; (Auto)Biografias e a Polícia Militar de Sergipe – Gledson Lima Alves; A vida é um Trio elétrico – Claudefranklin Monteiro; Antônio Xavier de Assis: Vida & Obra – Carlos Pinna e Gil Francisco; Representação de homossexuais nos livros didáticos de história – Márcia Barbosa Silva; As prosas de Pedrinho  Pedro da Silva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here