A partir desta quinta-feira, 26, Sergipe passa a contar com cinco estações sismográficas que contribuirão para o aprimoramento dos estudos de pequenos tremores ocorridos frequentemente na região do Território do Baixo São Francisco, especificamente. O município de Canhoba, que já contava com uma estação, recebe outra e Telha, Propriá e Amparo do São Francisco também terão monitoramento diário.

As estações sismográficas ampliarão as pesquisas e o monitoramento a respeito dos pequenos tremores de terra ocorridos na localidade nos últimos meses. A instalação é uma parceria firmada entre o Governo de Sergipe, por meio do Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil (Depec), e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) que enviou uma equipe formada pelos profissionais do Centro de Ciências Exatas e da Terra, do Departamento de Geofísica Laboratório Sismológico (LabSis) e responsáveis pela Rede Sismográfica do Nordeste.

De acordo com o professor da UFRN, Eduardo Alexandre Santos de Menezes, a instalação das estações darão o suporte ao monitoramento que já era realizado. “Desde 2016, o laboratório mantém o equipamento na região e ao longo desse tempo temos registrado vários tremores.

Nos últimos três meses essa atividade se intensificou, sendo que a quantidade de abalos sísmicos chegou a 300. Dessa forma, essas quatros estações darão suporte para fazer o mapeamento da região, uma vez que agora saberemos a determinação do complemento de falha, profundidade e precisão exatamente na área onde ocorre esses eventos”, explica.

Pouca intensidade

Eduardo Alexandre tranquiliza a população de que esta intensidade dos tremores não causam danos significativos. “A ordem de magnitude é pequena, uma que o índice registrado até então foi de 2,8 na Escala Richter, inclusive próximo à cidade de Telha, onde estamos instalando uma estação, sendo que em algumas casas ocorreram trincamentos, deslocamento de telhados, coisas simples e que é comum nesse tipo de ocorrência. Assim, orientamos aos moradores que evitem o pânico, bem como absorver informações absurdas e sensacionalistas sobre o fato”, orienta.

Para o coordenador da Defesa Civil de Canhoba, Everson Pereira dos Santos, a instalação dos sismógrafos terá finalidades diversas. “Os tremores já acontecem há um bom tempo, algumas vezes não chegam a ser perceptíveis, e, em sua maioria ocorreram em alguns povoados, mas sem registros de maiores danos. Porém, neste ano é que eles foram mais constantes e muitas pessoas perceberam. Com a instalação do aparelho, além de ajudar nos estudos dos ocorridos, poderá tranquilizar um pouco a população”, analisa.

O secretário-executivo do Depec, Capitão Alysson Carvalho, alerta a população em casos de uma ocorrência além do normal.  “Acontecendo algo mais relevante no que diz respeito aos tremores, os moradores podem manter contato com a Defesa Civil através dos número 199 e Corpo de Bombeiros 193 e ainda quem desejar ter acesso aos alertas emitidos pela Defesa Civil do Estado pode se cadastrar pelo serviço de telefonia móvel, enviando um SMS para o número 40199 e no corpo da mensagem colocar o CEP da localidade onde mora”, direciona.

Quem se cadastrar passa a receber as informações do Centro de Meteorologia de Sergipe (CPTEC) e do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), relativas às possibilidades de inundações, alagamentos, temporais, deslizamento de terra entre outras situações similares, como os alertas de tremores de terra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here