As vacinas contra Covid-19 desenvolvidas pela Pfizer/BioNTech e pela Moderna reduziram o risco de infecção em 80% duas semanas ou mais após a primeira das duas doses, de acordo com dados de um estudo feito com profissionais da saúde e socorristas dos Estados Unidos que foi divulgado na segunda-feira (29).

E o risco de infecção caiu para 90% duas semanas após a segunda dose, mostrou o estudo, que contou com pouco mais de 4 mil pessoas.

O estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças do EUA (CDC) avaliou a capacidade das vacinas de proteger contra infecções, incluindo aquelas que não causam sintomas. Testes clínicos anteriores das empresas avaliaram a eficácia de suas vacinas para evitar doenças da Covid-19.

“Este estudo mostra que nossos esforços de vacinação nacional estão funcionando”, disse a diretora do CDC Rochelle Walensky, em comunicado.

As conclusões do uso destas vacinas de RNA mensageiro (mRNA) no mundo real confirmam o que foi visto em grandes testes clínicos controlados reduzidos antes de os imunizantes receberem autorizações de uso emergencial da Agência de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA).

O estudo analisou a eficácia das vacinas de RNA mensageiro entre 3.950 participantes em seis estados durante um período de 13 semanas entre 14 de dezembro de 2020 e 13 de março de 2021.

“As vacinas contra Covid-19 de RNA mensageiro autorizadas proporcionaram uma proteção precoce e substancial no mundo real contra infecções para profissionais da saúde, socorristas e outros trabalhadores essenciais da linha de frente de nossa nação”, disse Walensky.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here