PUBLICIDADE

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post
page

PUBLICIDADE

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post
page
Publicidade

Carnaval exige atenção e cuidados com a saúde vocal e auditiva

lauroabud_fotoascom_151223

A folia de carnaval está a todo vapor com os bloquinhos de rua e trios. E com os festejos também é preciso manter a cautela em relação à saúde vocal e auditiva. Para reduzir danos e garantir que todos aproveitem da melhor forma possível, o médico otorrinolaringologista Lauro Abud dá algumas dicas.

“Para aqueles que vão a lugares agitados, é preciso manter a hidratação, ter cuidado com a alimentação, evitar gritar muito e poupar a voz, além de evitar o uso do cigarro convencional ou eletrônico. Para as pessoas que não vão para festa, mas que vão aproveitar o feriado em praia ou piscina, é necessário ter cuidado com o uso de hastes flexíveis. Isso porque na hora de secar o ouvido, deve-se usar toalha e não os cotonetes. E se houver algum problema, a orientação é buscar ajuda médica”, alerta.

O Dr. Lauro Abud destaca que o som alto é uma característica bastante comum no período, mas pode representar um perigo para a audição. Por conta disso, é preciso tomar algumas precauções. “Para quem vai para local com ruído, é essencial evitar estar próximo de caixas de som ou, no caso de estar perto, ficar pelo mínimo de tempo possível. O risco de perda auditiva e trauma acústico é muito grande, não só para quem está curtindo, como para quem está trabalhando” frisou.

O médico também alerta que abusos na ingestão de álcool podem afetar o corpo como um todo. “O álcool, a depender da intensidade, pode causar uma baixa na imunidade e predispor quadros infecciosos que JÁ estão incubados. Ele também inibe a liberação de um hormônio chamado hormônio antidiurético e tendemos a desidratar, o que causa ressacamento das mucosas o que predispõe piora de rinite, por exemplo. O álcool também é um irritador gástrico, podendo causar ou piorar refluxo e ainda outros sintomas como dor de garganta, pigarro e tosse”.

O especialista explica ainda que, após o carnaval, é comum a ocorrência de algumas patologias. Nestes casos, a orientação principal é buscar ajuda médica. “Logo após o carnaval, é muito comum que as pessoas apresentem dor de garganta, quadros virais, amidalite, sinusite, pioras de rinite e rouquidão. Ao notar sintomas, é importante não se automedicar e procurar um atendimento especializado”, finalizou.

Fonte: Assessoria de imprensa

Publicidade